Perda auditiva – temos 4 graus e não apenas ele não houve nada ou ele escuta tudo.

Coloquei esse tema desta maneira porque vários pais me relatam assim: não precisa fazer exame de audição, eu chamo e ele vem. Ótimo! Mas isso só indica que provavelmente ele não tem uma perda auditiva severa ou profunda. Pode ter uma perda auditiva leve e perdas leves também alteram o desenvolvimento.

Então vamos entender:

Temos 3 tipos de perda auditiva, são elas:

Perda auditiva condutiva: são perdas que alteram a condução do som. Imaginem que o ouvido externo ou médio estão com catarro, pois o seu filho está com um resfriado muito forte. Então ele tem uma perda auditiva, possivelmente, transitória, pois ele irá tratar o resfriado e a perda auditiva melhora;

Perda auditiva neurossensorial: essa perda afeta as células auditivas e quando uma célula morre, não temos como recuperá-la. Esse tipo de perda auditiva ocorre por doenças como caxumba, meningite, exposição a ruídos elevados ou uso de medicamentos que afetem diretamente o ouvido (medicamentos ototóxicos, como os antibióticos aminoglicosídeos) e, infelizmente este tipo de perda não há como recuperar e como tratamento, nestes casos, podemos indicar o uso de aparelhos auditivos;

Perda auditiva mista: é uma combinação dos dois tipos anteriores, ou seja, tanto as células auditivas como o ouvido externo e médio estão comprometidos. Geralmente se trata a causa que afeta o ouvido externo e médio.

Além dos tipos de perda auditiva, temos os graus, são eles: leve, moderado, severo e profundo.

Os graus severo e profundo são aqueles que a criança não desenvolverá a fala, não irá ser alfabetizado da maneira convencional. Pois são os graus que mais agridem o sistema auditivo e a morte das células ocorre de maneira quase que total. Para estas crianças existem opções de tratamento como o implante coclear ou aparelho auditivo, caso a família deseje;

No grau moderado temos como opção de tratamento o aparelho auditivo, geralmente as crianças desenvolvem a fala, mas com dificuldade. Faltam os artigos, as preposições. A fala é mais monótona do que a habitual. Geralmente, as famílias descobrem de forma tardia a perda audição ainda mais se acometer um ouvido.

No grau leve ela é mais dificilmente diagnosticada, caso não tenha histórico que aponte a avaliação clínica para este sentido. A criança consegue dar conta de várias questões de fala e aprendizado mesmo com este tipo de perda auditiva, mas fica sempre a margem de uma criança com a mesma idade.

Compartilhe com quem você mais gosta:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Veja as últimas postagens do nosso Blog